Arquivos da categoria: Destaques

Como Saber se Você é um Empata?

O que é um empata?

Ser um empata significa que você é afetado pelas energias de outras pessoas e tem uma habilidade inata para sentir e perceber os outros intuitivamente. Sua vida é inconscientemente influenciada por desejos, pensamentos e humores de outros. Ser um empata é muito mais do que ser altamente sensível e não está limitado apenas às emoções. Empatas podem perceber sensibilidades físicas e impulsos espirituais, bem como conhecer as motivações e intenções de outras pessoas. Ou você é empático ou não é. Esta não é uma característica que pode ser aprendida. Você está sempre aberto, por assim dizer, a processar os sentimentos e a energia de outras pessoas, o que significa que realmente sente, e em muitos casos, assume as emoções dos outros. Muitos empatas experimentam sensações como fadiga crônica, sensibilidades ambientais, ou dores diárias inexplicáveis. É mais provável que todas essas coisas sejam provenientes de influências externas, mais do que vindas exclusivamente de você. Essencialmente, você está andando neste mundo com todo o carma, emoções e energias acumuladas…por outros.

Continue lendo

Síndrome do Pânico – Será que eu Estou Enlouquecendo?

“Estou perdendo o controle”

 “Eu sinto que estou ficando louco”

 “Eu devo estar tendo um ataque cardíaco”

 “Eu estou sufocando e eu não consigo respirar”

Ele chegou de surpresa. Comecei a sentir onda após onda de medo e meu estômago deu sinais de que algo não estava bem. Eu podia ouvir meu coração batendo tão alto que pensei que fosse saltar do meu peito. Não sentia mais minhas pernas, minhas mãos, meu rosto. Tudo formigava. Fiquei com tanto medo que não conseguia recuperar o fôlego. O que estava acontecendo comigo? Eu estava tendo um ataque cardíaco?

Os ataques de pânico são muito reais, muito terríveis e emocionalmente debilitantes. Muitas pessoas que experimentam um ataque de pânico acabam em salas de emergência de algum hospital ou em consultórios médicos – preparados para ouvir a pior notícia possível.

Continue lendo

Uma Dose de Freud e uma Porção de Fritas, Por Favor.

Sigmund Freud foi um dos pais da psicologia moderna e o inventor da terapia do “sente no sofá e me fale sobre os seus problemas”. Freud acertou bastante, mas ninguém – nem mesmo ele – acerta sempre. Uma de suas ideias era a de que os pais desempenham um papel determinante na formação das personalidades e saúde emocional de seus filhos. Essa ideia persiste até hoje. Em pleno século 21, é perfeitamente normal e aceitável discutir as deficiências de seus pais como uma espécie de explicação para as suas próprias. Fóruns de autodesenvolvimento lotam salas com histórias recheadas de “pobre de mim” sobre como os pais não foram presentes o suficiente, não mostraram afeto o suficiente ou foram, de uma forma ou de outra, responsáveis pela crise da pessoa.

Continue lendo

Os Pensamentos das Pessoas Ricas – Como Elas Realmente Pensam e Qual o Efeito Destes Pensamentos Sobre a Abundância

Steve Siebold, autor de “Como as pessoas ricas pensam,” passou quase três décadas entrevistando milionários ao redor do mundo para descobrir o que os separa de todos os outros.

“Tinha pouco a ver com o próprio dinheiro,” disse ele. “Era sobre a mentalidade”.

“[A classe média] diz às pessoas para ser feliz com o que elas têm,” disse ele. “E, no geral, a maioria das pessoas estão impregnadas de medo quando se trata de dinheiro”.

  • As pessoas pobres acham que o dinheiro é a raiz de todo o mal. As pessoas ricas acreditam que a pobreza é a raiz de todo mal.

Os pobres têm sofrido uma lavagem cerebral para acreditar que as pessoas ricas têm sorte ou são todas desonestas. É por isso que existe uma certa vergonha que aparece junto do “ficar rico” em comunidades de baixa renda.

Continue lendo

Ignore a Falta para Criar Abundância

O ano está no começo e eu já sinto a abundância nele. Eu vivo, experimento, toco, cheiro a abundância que eu JÁ tenho. Mas por que? Simplesmente porque eu me concentro muito mais na abundância, apreço e gratidão do que eu me concentro na falta, escassez e pobreza. Algumas pessoas diriam que esta mentalidade é o resultado da abundância; eu a reconheço como sendo a causa dela.

Quando eu fiz o contrário e prestei mais atenção no que estava faltando em minha vida, eu experimentei uma variedade de experiências baseadas em escassez – afundei cada vez mais em dívidas, precisei morar com a minha mãe porque não podia mais pagar o aluguel, não era capaz de comprar o que queria/precisava, me sentia estressada quando meu carro quebrava, comprava itens mais baratos e que não duravam nada, etc. Esta vibração foi forte o suficiente para prender minha atenção por um tempo, mas depois de alguns (muitos) anos naquela sintonia eu fiquei entediada – e totalmente quebrada – e decidi experimentar a mentalidade da abundância para ver do que se tratava.

Continue lendo

Uma Brazuca no Grão-Ducado

Je suis désolé mas não estou entendendo nada!

Mudar-se para outro continente ensina muitas coisas, por bem ou por mal. É preciso ser um tipo especial de pessoa para fazer isso. Empacotar toda a sua vida em duas malas é uma prova prática de desapego e minimalismo. Claro que também bate um desespero básico, afinal, junto com aquelas roupas, sapatos e caixas de CD’s que você deixa pra trás, você também deixa as amizades, a família (ou parte dela) e o conforto de estar na sua bolha de segurança.

Uma vez me disseram que a razão pela qual nos mudamos para outros países é porque estamos fugindo de alguma coisa ou correndo para outra. Eu não poderia concordar mais. Sim, eu estava correndo para alguma coisa. Bom, no meu caso, estava correndo para alguém. Ahh, o amor! Dizem que ele ultrapassa barreiras, não é? Pois bem, continentes também.

Continue lendo

Vida de Expatriado: A Diferença Entre Viajar x Mudar para o Exterior

Artigo original de Stephanie Be

http://www.huffingtonpost.com/

Viajar é como um romance lunático: excitante, imprevisível e apaixonado. Mas ao mudar para o exterior, você despe completamente a cidade e uma cultura local revela seus anjos e demônios. Você se torna vulnerável, dependente e compelido. O desejo de viajar é comprometido por suas imperfeições e desafios.

A-step-by-step-process-for-expats-leaving-home

Não é questão de ‘romantizar’ os obstáculos, mas é mais difícil mudar para o exterior do que apenas passar as férias, e absolutamente vale a pena. Há algo inegavelmente revigorante sobre se apaixonar por uma cidade, mais e mais e mais até que ela seja sua. É um pedaço de você.

Um olhar com uma perspectiva mudada sobre pisar em terras estrangeiras:

  1. Você tem que desistir de alguma coisa.

Independe da sua relação com os amigos, família e carreira – a vida em casa não vai parar durante a sua ausência. Se você tiver um trabalho menos tradicional no exterior, pode ser que você esteja colocando sua carreira a longo prazo em modo de espera. Você pode perder algumas festas de aniversário ou feriados. Eu adoraria dizer que tudo isso ESTARÁ lá quando você voltar (se você voltar), mas alguns talvez não estejam. Algumas amizades podem esfriar. Mas para cada pessoa ou situação que você perder, você estará ganhando muito mais confiança, desenvolvimento, independência, amigos, memórias e aventura. Riscos. Sacrifícios. Algumas coisas valem a pena.

Continue lendo

[Gente de Sucesso] É Possível Ganhar Dinheiro Vendendo Livros?

Artigo original de Joanna Penn – http://www.TheCreativePenn.com

Se você pretende gerar uma renda de seis números com a venda de seus livros, é uma boa ideia ter, como modelo, pessoas que já estão ganhando bastante dinheiro com isso.

Steve Scott é autor best-seller de livros de autoajuda com foco em hábitos, incluindo os aclamados “O Empreendedor Diário” e “23 Hábitos Anti-Procrastinação”.

Atualmente, ele possui 42 livros disponíveis (alguns deles em português, como veremos adiante).

Steve aprendeu o que sabe com suas primeiras empresas de internet e marketing de afiliados, que ele iniciou em 2006. Seu foco era em um único nicho de negócio e gênero, e, especificamente, a construção e manutenção de uma lista de e-mail. Seu ponto de vista sobre o que funciona no mercado editorial mudou, e agora ele se concentra no trabalho duro, a longo prazo, e em realizar pequenos feitos em uma base diária. Steve se tornou muito conhecido no ano passado, mas a estrada que ele percorreu foi longa.

Continue lendo