Arquivos da categoria: Viagens

7 Destinos para Fugir de Datas Festivas e Descansar

Com um povo tão festeiro aliado às altas temperaturas do país, as regiões brasileiras são opção perfeitas para quem ama as tradicionais festividades, como o carnaval. Todavia, o Brasil também oferece ótimas opções para quem busca sossego. Longe das famosas marchinhas, do samba e do agito das grandes cidades, existem locais perfeitos, e não menos divertidos.

Se você faz desse grupo que não abre mão dos feriados, mas prefere passar os dias de folga longe das multidões, precisa conhecer os melhores destinos para descansar. Confira, a seguir, 7 lugares onde você poderá viver dias inesquecíveis de relaxamento!

Continue lendo

Livros de Viagem: Pode Preparar as malas!

Seja para espantar o tédio, para passar o tempo, se informar sobre algo ou ter em mãos a companhia perfeita, a leitura é capaz de inspirar, nos cativar e motivar. E nada melhor do que livros de viagem para quem está com vontade de conhecer o mundo, viver novas experiências e se autodescobrir, mas ainda precisa de um empurrãozinho.

Por isso, reunimos 5 obras para aguçar sua imaginação e deixá-lo com vontade de arrumar as malas agora mesmo. Confira!

Continue lendo

Hostels: 6 Razões para se Hospedar Neles

Você já pensou em se hospedar em hostels? Muito comum entre mochileiros e quem viaja sozinho, eles vêm ganhando, cada vez mais, novos adeptos ao redor do mundo. Apesar disso, ainda há gente que não se sente à vontade com esse tipo de hospedagem ou mesmo tem dúvidas sobre como é o funcionamento.

A lógica principal dos hostels é o compartilhamento — o mais comum é dividir quartos com outras pessoas. Porém, existem muitas opções de estabelecimentos com dormitórios privativos. Além disso, a cozinha, área de convivência e banheiros também são divididos. Mas fique tranquilo! Há regras claras de convivência.

Para acabar com qualquer receio, a seguir, apresentaremos 6 razões para você se hospedar em hostels. Confira!

Continue lendo

Ano Sabático: Dicas para Recuperar as Energias

Sair da rotina, conhecer novas culturas e aproveitar uma pausa para se autoconhecer e ampliar os horizontes. Esses são apenas alguns dos benefícios para quem opta por um ano sabático. E não vale confundir essa experiência com as férias que tem como único propósito servir como um intervalo de descanso do trabalho, hein?!

Esse período vai muito além do que apenas tirar um tempo para si mesmo. É uma oportunidade única para você se desconectar das pressões e decepções do dia a dia maçante e investir em uma viagem na qual se evolui como pessoa, se vivencia novas culturas e se autoconhece.

Pensando nisso, reunimos 5 dicas para você tirar o máximo de proveito desse momento. Acompanhe!

Continue lendo

5 Passos para Criar um Diário de Viagem

Tem sensação melhor do que relembrar os bons momentos da vida ao lado de pessoas queridas e que muitas vezes nem fazem mais parte do nosso cotidiano? Assim como as fotografias, os diários de viagem têm o poder de nos levar ao passado e guardar sempre com carinho e amor as recordações.

Engana-se quem pensa que o hábito de escrever diários é restrito às crianças e adolescentes. Esse conjunto de folhas com experiências pessoais é utilizado por pessoas de todas as idades e também por quem gostar de viajar e arquivar os seus dias.

Você sabe como criar um diário de viagem? Separamos algumas dicas para você:

Continue lendo

Mochilão pela América do Sul: 3 Roteiros que Você Precisa Conhecer!

Viajar é delicioso e pede bis. Já ouviu falar de mochilão ou backpacker? Fazer mochilão não é apenas ser ecoturista e não significa estar procurando aventuras radicais. Nem todo mundo que pratica mochilão gosta de trilhas, acampamentos ou escalar montanhas.

Chega um momento da vida que começamos a questionar nossas decisões, os caminhos que tomamos para chegar até ali, se estamos felizes e satisfeitos com nossos resultados. Esse momento é a tão falada crise existencial. Essa modalidade de viagem é também a oportunidade perfeita de dar uma pausa na correria do dia a dia, tirar férias e entrar de cabeça em uma jornada de autoconhecimento. Você já considerou tirar um ano sabático?

Já imaginou visitar os países latino americanos assim? No post de hoje, daremos dicas com os roteiros imperdíveis de mochilão pela América do Sul. Confira:

Continue lendo

A Invasão dos “Fantasmas de Rua” de Luxemburgo

Artigo original: Wort.lu

Você pode vê-los por todo o centro de Luxemburgo: 35 figuras sem rosto, do artista Paolo Cirio, estão coladas em prédios e muros ao redor da capital. À primeira vista, elas podem assemelhar-se com alguém que você conhece – um vizinho ou amigo, por exemplo.

Longe de serem obras de grafite, esses “fantasmas de rua” fazem parte de um projeto de arte, para o qual Cirio voou de Nova Iorque especialmente para Luxemburgo.

Entrevistador: Paolo Cirio, quem são estes 35 “fantasmas de rua” que podem ser encontrados pelo centro de Luxemburgo?

Paolo: Estas são imagens que eu recuperei na Internet ao procurar por ‘Luxemburgo’ no Google Street View. As silhuetas foram coladas onde foram fotografadas pelo Google.

Entrevistador: Por que este projeto?

Paolo: O que me interessa é colocar essas imagens em realidade virtual e provocar a discussão: o que é público? O que é privado? A arte pode ajudar a destacar certos fenômenos que estão além de nós.

Entrevistador: Você vive em Nova York. Você veio para o Luxemburgo antes para se familiarizar com a cidade?

Paolo: Não, eu conversei com Sabine Dorscheid, diretora artística do “International Luxembourg Kunstverein (IKV)”, que encomendou o projeto e supervisionou sua instalação. Combinamos de nos concentrar no centro da capital para que os “fantasmas de rua” fossem claramente visíveis.

Entrevistador: Qual foi o seu critério de seleção das pessoas cujas silhuetas se tornariam parte do projeto?

Paolo: Levei em consideração o lugar, as cores e o posicionamento das figuras. Este também é um trabalho fotográfico, então era preciso que as imagens fossem interessantes, mas também que os proprietários concordassem em ter suas imagens coladas nas paredes.

14812855_1237892792949741_850181886_o

Entrevistador: Foi fácil convencê-los?

Paolo: Deu bastante trabalho, e quem tomou conta disso foi a IKV. Não foi fácil. Os ocupantes dos edifícios não são, necessariamente, os proprietários. Além disso, nem todos os proprietários concordaram em fazer isso. Alguns deles temiam as reações do Google.

Entrevistador: Você não pediu permissão ao Google para usar essas imagens. Você teve problemas com eles?

Paolo: Não, o grupo nunca entrou em contato comigo. A estratégia de marketing do Google é manter sua imagem “legal”, por isso eles me deixaram em paz. O mesmo não aconteceu com o Facebook, que, no passado, barrou um dos meus projetos e ameaçou me levar ao tribunal. Eu tinha publicado um milhão de fotos e informações de Facebook em um site. Isso provocou uma tremenda reação das pessoas envolvidas.

 Entrevistador: No passado, você comparou o “Google Street View” a um “enorme parasita social” que se alimenta de outros…

Paolo: Google tira fotos no espaço público sem pedir autorização e sem pagar por essa informação. Neste sentido, é um parasita que consegue ganhar muito dinheiro nas costas da sociedade.

14795988_1237892926283061_988788171_o

14808065_1237892869616400_1396021364_o

Entrevistador: Como este projeto pretende desafiar este fato?

Paolo: Recebo essas imagens e as coloco onde foram tiradas. É um ato de recontextualização que pode levar as pessoas a se perguntarem quem são os donos destas fotos. É o Google? É a pessoa cuja foto está sendo tirada? Sou eu? Isso também levanta a questão da percepção das imagens. Quando você vê a sua imagem no seu Smartphone, ela parece privada. Quando é exibida em uma parede no espaço público, percebemos, fisicamente, que já não somos senhores da nossa própria imagem.

Entrevistador: Você se considera um artista dedicado?

Paolo: Eu faço o que é chamado “arte de impacto.” Como muitos artistas da minha geração – Ai Wei Wei, por exemplo – eu tento ajudar a mudar as coisas de uma forma positiva, sem qualquer ideologia e de forma prática.

Entrevista de Marie-Laure Rolland

Traduzido por Jess Bauldry

Por Que Tirar um Período Sabático e Viajar para a Índia?

Na correria do cotidiano, pouco paramos para refletir sobre o rumo que estamos dando às nossas vidas (ou para onde estamos nos deixando levar…). Sentimentos de cansaço e angústia às vezes nos fazem parar para (re)pensar em nossa vida pessoal. Sendo assim, uma jornada de autoconhecimento pode ser necessária para descobrirmos qual caminho realmente queremos trilhar, e como fazer para retomá-lo – isso é o que se costuma chamar de período sabático.

O que é o período sabático?

Tirar um tempo para si não deveria ser encarado como um luxo. O período sabático teve origem nas universidades. É um ano concedido aos docentes após seis anos de trabalho no mesmo emprego. Atualmente, esse conceito transbordou aos muros universitários e se faz também presente em algumas empresas – embora ainda não seja prática comum no Brasil.

O que caracteriza o período sabático é uma jornada pessoal de autoconhecimento. É um período para descobrir-se ou reinventar-se, marcando o início de uma vida renovada!

Por que viajar para a Índia?

A Índia é um ótimo destino para quem deseja mergulhar nessa jornada de descobrimento pessoal. O país se localiza na Ásia Meridional e possui a segunda maior população do mundo – atrás somente da China!

Lá você encontrará uma grande riqueza histórica, cultural e religiosa nos diversos templos e monumentos que existem espalhados pelo país. Além dos templos, há muitos spas, ruínas e ashrams – um lugar específico para praticar yoga e meditações. São mais de 400 idiomas e dialetos falados no país – mas não se preocupe, você consegue se virar bem falando um pouco de inglês!

A Índia é um lugar promissor para o período sabático, pois alia o lado místico ao lado humano da vida, em um tipo particular de turismo que, muitas vezes, acaba virando uma peregrinação. É uma oportunidade de contato com várias expressões religiosas e espirituais diferentes, de conviver e refletir extremos como riqueza e pobreza, e experimentar cores e sabores diversos.

Qual é a melhor época do ano para ir à Índia?

O país é conhecido por seu clima desértico – calor intenso durante o dia e frio cortante pela noite. Esse é o principal fator levado em consideração na hora de escolher a melhor época para a viagem. Entre o final de outubro e início de novembro, você encontrará temperaturas mais amenas no país.

Quais as principais informações que devo ter em mente antes de ir para a Índia?

  1. Para entrar no país, você precisa ter o visto e o Certificado Internacional de Vacina contra Febre Amarela – a vacina deve ser tomada com ao menos 11 dias antes da data da viagem. O visto tem duração de 30 dias.
  2. Levar equipamentos bivolts ou automáticos tornam a viagem mais prática. Na Índia, a voltagem padrão é de 220 volts.
  3. Cuidado com a comida. Para quem tem o paladar mais sensível, a comida indiana – muito apimentada e com muito curry – pode não ser agradável. Nesse caso, prefira os alimentos industrializados e muito bem cozidos.
  4. Esteja atento às diferenças culturais. Não é permitido entrar nos templos de sapatos, e tocar na cabeça das pessoas ou mostrar as solas dos pés pode ser considerado ofensivo, por exemplo.

Por toda essa diversidade apresentada, a Índia é um destino propício ao autoconhecimento. Mas lembre-se: esteja aberto para os estranhamentos e choques culturais, tente ao máximo não ler a cultura dos outros como se a sua fosse a única verdade no mundo!

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a Índia? Então compartilhe este post com seus amigos nas redes sociais!